domingo, 20 de novembro de 2011

Coréia do Norte dá uma chance ao turismo

A Coréia do Norte está aberta para negócios....pelo menos os negócios turísticos!
O país tem montanhas, rios, cachoeiras e florestas maravilhosas. A capital Pyongyang oferece 70 parques, água cristalina que você pode beber direto da torneira, trânsito tranquilo e incríveis monumentos e memoriais para visitar.

É só respeitar algumas regras:
  • Não traga seu celular.
  • Não mande emails.
  • Nunca (nunca mesmo) fale com estranhos.
  • Não passeie pelas ruas sozinho (somente em grupo e acompanhado por um guia).
  • Não tire fotos de cidadãos normais.
Nada disso é permito e você pode estragar (sua viagem. 
A grande maioria dos Coreanos não tem acesso a internet, celular e quase nenhuma comunicação com o mundo fora do país. Existem 2 canais de TV do governo (que não funcionam todos os dias) e um terceiro que passa filmes chineses antigos nos finais de semana.

Mount Kumgang Resort

Um grupo de 70 turistas e investidores chineses foram convidados para conhecer o local (Mount Kumgang). Muitos dos convidados trabalhavam em agências de viagens. Outros, eram chineses com origens coreanas, e aproveitaram a viagem para conhecer a terra dos seus pais e avós.

Mas nem tudo foi fácil. A Coréia do Sul proibiu uma Sul Coreana em participar do grupo (em função do turista Sul Coreano morto em 2008 quando tentou entrar em uma área proibida no país) e, em retaliação, eles expulsaram os trabalhadores sul coreanos do hotel.

Fotos não foram permitidas (e os celulares já tinham ficado em sacos plásticos no aeroporto). Na cidade, eles foram acompanhados (sempre em grupos) aos monumentos e memoriais.
Mesmo com alguns convidados protestando, eles só comeram em um buffet específico e fizeram compras em uma loja pré designada para turistas.

No futuro, a internet estará liberada na área do hotel para turistas.
Com os U.S. e a Coréia do Norte tendo cortado o abastecimento de comida à Coréia do Norte, a China entra como grande fornecedora, não só de alimentos, mas de energia em geral. A China acredita que essa é a entrada para inserir produtos de luxo também no país. Pyongyang é uma cidade de poucos carros, mas esses poucos são BMW e Mercedes-Benz, por exemplo.
Além disso, os turistas chineses vêem o país como um destino exótico, com ar puro e beleza natural. O ar misterioso da Coréia do Norte atrai muito os chineses também.

 O "Arco do Triunfo" Coreano

Bem, turismo é uma coisa, investir lá já é outra, bem diferente. A maioria dos investidores saiu de lá com essa sensação. "Eles ainda estão ainda muito atrasados. Eu precisava entender o que acontece com a  classe média para investir aqui, mas eles não me deixaram falar com as pessoas", disse Li Zhigang, um investidor chinês convidado.

Essa matéria saiu no Washington Post essa semana e foi escrito pelo jornalista Keith Richburg.
Postar um comentário