sábado, 18 de agosto de 2012

O Novo Mundo da Distribuição


Esse meu artigo também foi publicado no Hôtelier News. Leia aqui.
===========================
Conforme o cenário de distribuição continua a se fragmentar, os Revenue Managers estão engajados para manter o controle sobre as muitas plataformas que surgem todos os dias.
Durante o Revenue Optimization Conference, da HSMAI, realizado nos Estados Unidos, ocorreram muitos debates acirrados sobre o assunto.
O estudo Billboard Efect, realizado pela Cornell University, já havia descoberto que, a cada reserva feita por uma OTA (On-line Travel Agency), um hotel recebe de 3 a 8 reservas em suahomepage.
Depois de tanta discussão, os especialistas saíram com duas certezas:
A)  Investir na venda direta (seu próprio site) continua sendo a melhor opção;
B)  Conhecer os novos players do mercado é vital para seu hotel tentar minimizar o custo de distribuição, que pode chegar a 35% da receita.
Conheça alguns dos novos intermediários, as novidades nas propostas de valor para o cliente final e a visão dos hoteleiros. Você vai se surpreender…
1) Backbid
Site no qual os viajantes postam as reservas de hotéis existentes e aceitam propostas de propriedades alternativas para encontrar o melhor valor para a sua estadia em algum meio de hospedagem próximo. Sim, você pode “roubar” (não achei outra palavra para descrever) o hóspede de outro hotel.
Pelo menos o site é totalmente opaco, ou seja, ninguém sabe que hotel está reservado e quem está tentando ganhar o cliente. Pela visão do consumidor, é ótimo, pois ele tem muita flexibilidade e 85% dos hotéis oferecem tarifas reembolsáveis.
Entretanto, os empreendimentos hoteleiros têm sido lentos na negociação e não conseguem usufruir ao máximo do Blackbid. Para eles, o site vale para descarregar seu inventário emperrado, mas por preços mais baixos.
Obs.: Bid quer dizer licitação em inglês.
2) Guestmob
Site semiopaco que permite aos clientes a escolha entre uma coleção de hotéis em cidades selecionadas.
Um convidado se registra no site gratuitamente, procura uma cidade por data e acessa a lista de hotéis por nome, bairro e preço. Só depois de confirmar a reserva é que o hóspede sabe em qual hotel fez realmente a reserva.
O Guestmob permite aos hoteleiros manter a paridade com outros canais e ainda capturar o preço cheio nas reservas pelo site do meio de hospedagem.
De todos os canais emergentes debatidos durante o workshop, o Guestmob obteve as melhores notas como plataforma viável.
3) Hall St.
Canal europeu com plataforma de trocas. Os hóspedes registram-se no site, negociam tarifas com os hotéis e, em seguida, podem desfrutar da reserva pré-paga, mudar o nome ou vendê-la para outros usuários.
Mas hoteleiros presentes no workshop disseram que, devido às mudanças constantes, o site era muito complexo e eles tinham que deslocar recursos já escassos para gerenciá-lo.

4) Tingo
Ele monitora todas as mudanças tarifárias que os hotéis fazem e refaz a reserva, sem custo de cancelamento para o hóspede.
O valor para os consumidores é óbvio. Eles escolhem o hotel e a categoria desejada, sentam e esperam a tarifa cair conforme vai chegando mais perto da data de check in.
Tingo diz que proporciona benefícios para os hoteleiros como uma antecipação maior de reserva (média de 45 dias), hospedagem mais longa etc.
Mas os hoteleiros presentes não estavam tão certos. Eles temem que a plataforma possa expor as fraquezas existentes em práticas de desconto e assim corroer as tarifas. Embora o site tenha sido avaliado como o mais user friendly do workshop, hoteleiros querem instituir multas de cancelamentos mais agressivas para evitar os rebookings.

5) Traveltipping
Os convidados começam a sua pesquisa selecionando uma das seis regiões do mundo: América do Norte & Caribe, América Latina, Europa, África e Arábia, Ásia e Oceania. Cada uma delas gera um punhado de viagens, tais como quatro noites de hospedagem para duas pessoas em um lodge eco aventura na República Dominicana. E muitos itens podem ser anexados, como um passeio de caiaque, outro de mountain bike, café da manhã e impostos.
Os objetivos são ajudar o fornecedor a vender o inventário e aumentar a receita sazonal durante os períodos de baixa, como os shoulder nights (dias anteriores e posteriores de eventos com alta ocupação, por exemplo).
Hoteleiros ficaram um pouco perplexos com o site e não deram muito crédito, dizendo que seria mais um “embalado”.
6) HipmunkComissão baseada em modelo de busca que torna mais fácil para o consumidor a comparação de vantagens e desvantagens entre os hotéis, que são classificados por um combinado de itens levando em conta o preço, serviços e opiniões.
Entre no site e veja quão interessante é a busca, que já traz o mapa da cidade e a localização do hotel, bem como a avaliação do Tripadvisor.
7) Roomkey – o esforço metasearch colaborativo de várias empresas hoteleiras é uma opção para os hoteleiros que buscam reduzir os custos de comissão às agências de viagens on-line. Propriedades independentes também são bem-vindas para disponibilizar seus inventários no site. Já dediquei um artigo exclusivamente ao Roomkey. Leia aqui.
8) Global Hotel Exchange (GHX)Meta busca que oferece serviços de reservas livres para hotéis e concede-lhes o controle completo de todos os preços. Não há taxas para o intermediário. Os consumidores pagam uma taxa de serviço de R$ 2,99 quando eles chegam ao hotel.
Este site se coloca como prestador de serviços para o consumidor e não como um intermediário. Boa ideia! Que se prolifere…
9) Sala 77Consumidores podem escolher um hotel com base em um critério específico, como wi-fi livre, vista do apartamento, estacionamento grátis, café da manhã incluso na diária ou transfer do aeroporto. E tudo isso pode ser combinado com filtros adicionais como preço, categoria, localização e amenities, por exemplo.
Além disso, a equipe do Room 77 ainda dá dicas interessantes, tais como tamanho, silêncio e melhor vista de cada apartamento pelo serviço Heard in the Lobby.
10) Simple HoneyComercializa-se como um motor de busca que promove opiniões sobre hotéis. Ele explora ao máximo os desejos dos viajantes, suas preferências de viagem e mostra resultados personalizados. A ideia é conhecer o hóspede de modo que a recomendação do hotel seja extremamente assertiva, que a satisfação do cliente seja maior e que a recompra seja certa.
Melhor tentativa de todos os sites para realmente conhecer e conquistar o consumidor a longo prazo.
11) EveryLodgeConsolida todas as ofertas de hotéis em sites de compras coletivas para o consumidor.
O único problema é que, às vezes, o estoque pode ser impreciso e nem todos os negócios são listados.
Acha que é um assunto muito distante da realidade do Brasil? Pois eles estão mais próximos do que você imagina. Se não exatamente estes, outros, com nomes diferentes e novas propostas de valor já estão por aí ou chegando.
É preciso aprender a viver e se manter rentável em um mundo multicanal.
Você está preparado? E seu site?
Todos os dias novos players estão surgindo. Prepare-se!
================================
Se você gostou desse artigo, com certeza se interessará por estes também:
Postar um comentário