quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O Futuro do Turismo de Luxo

Esse meu artigo foi publicado também no site Gestão do Luxo. Leia AQUI.
============================================

A International Luxury Travel Market(ILTM) lançou um projeto para estudar a indústria turística de luxo. Além das tendências da oferta e demanda, a idéia é explorar o futuro das relações de negócios entre fornecedores e consumidores do segmento.
O último “The Future of Luxury Travel, A Global Trends Report”,  lançado na metade do ano na ILTM Ásia, contempla uma perspectiva para os próximos 3 anos.
Segue abaixo um resumo das principais conclusões:


Hospedagem
Considerado o componente mais importante em qualquer viagem, sendo a única exceção os  destinos com natureza selvagem, a hospedagem de luxo se divide em 3 grandes subsetores:
 • Hotéis de Cidade: Clássicos (The Pierre em New York ou The Ritz em Paris); Boutique ou Design (The Bulgari em Milão); Hotéis de destino com ambientação excepcional (Monasterio em Cuzco, Peru).
Resorts e Spas: hotéis de praia, de golfe, montanha, etc.
Villas e propriedades para locação com serviço de hotel.

De acordo com a Organização Mundial de Turismo (OMT), o número total de apartamentos no mundo é estimado em 18 a 20 milhões. Em Paris, líder do turismo mundial, existem 150.000 quartos de hotéis, sendo 1.500 deles (1% do total de oferta) considerados de alto padrão.
Dentro do segmento global de luxo, existem aproximadamente 200.000 quartos distribuídos por 200 destinos, gerando uma capacidade média de 1.000 por destino. Entretanto, a performance econômica das unidades habitacionais de luxo variam muito de região para região.

Transportes
Hospedagem e transporte compõem a essência das viagens. Com o aumento do turismo de massa e cias.aéreas com o conceito low cost low fare, nem sempre transporte é sinônimo de luxo.
São 4 os setores de transportes considerados parte do turismo classe A:
Avião e aviões privativos: Classes executivas e primeira classe.
Cruzeiros e trens: combinando hospedagem e transporte, cruzeiros podem oferecer muito conforto e segurança. Os principais são: Cunard, Crystal Cruises, Oceania e Regent Seven Seas Cruises.
Também existem barcos menores que levam um número limitado de passageiros e são exclusivamente reservados para o público high-end: Silversea, Seabourn e SeaDream são alguns exemplos.

Consumidores de Luxo:
São 3 as categorias que diferenciam a demanda do luxo de acordo com seu poder de compra. São os famosos 3 “A”s.
- Luxo Absoluto: protegidos da flutuação econômica, tem pelo menos U$ 30 milhões em investimentos e são em torno de 80 a 95 mil no mundo.
- Luxo Aspiracional: muitos executivos se enquadram nessa categoria. Eles detêm em torno de U$ 1 milhão em investimentos e são estimados entre 8 e 10 milhões no mundo.
- Luxo Acessível: viajantes desse grupo fazem do luxo, componente essencial no seu estilo de vida, mesmo tendo que fazer escolhas para conseguir pagar por isso. Com uma renda minima de U$ 100 mil, esse tipo de consumidor está rapidamente entrando no mundo das viagens de luxo e rejeitando destinos de massa.

Turistas de Luxo:
 - Super ativo – independente, clientes educados que procuram por férias ativas e uma autêntica experiência de viagem. Como seu tempo é precioso, eles rejeitam roteiros e atividades planejadas. Sua aspiração principal
é de férias altamente personalizadas, independente do preço.
- Explorador - viajante disposto a pagar um preço alto em troca de umas férias fora do comum, em locais inóspitos , por exemplo.
- Aspirantes – desejam alto nível de qualidade e conforto. Dão atenção ao status social e são muito exigentes em termos de serviço. Eles são mais seguidores do que os pioneiros na escolha de destinos.
- Jovens - grandes usuários da internet que buscam incessantemente o melhor valor possível. Eles têm menos poder de compra do que a média do turista de luxo. Muitas vezes com duas rendas e sem filhos, eles podem viajar fora de temporada a preços atrativos. O comportamento típico deste tipo de cliente é de influência a todos viajantes de luxo, que estão se tornando cada vez mais conscientes nas suas viagens.
- Padrão – turista que pega um avião ou um cruzeiro de lazer para relaxar e mudar de ambiente.

Destinos
A geografia do turismo de luxo está mudando.
- Europa – Inglaterra, Alemanha, França, Itália e Holanda ainda lideram como principais mercados. Entretanto, a Rússia é o destino que cresce mais rapidamente. Cidades mais populares: Paris, Roma e Londres.
- Oriente Médio – Região onde o turismo cresce mais rapidamente no mundo.Cidade mais popular: Dubai.
- Américas – A demanda pelo turismo doméstico ainda  é dominante. Quando viajam para o exterior, os destinos mais procurados pelos americanos ainda são Canadá, México e Caribe. Já para os Latinoamericanos, Miami ainda lidera, sendo que Brasil e Argentina vêm crescendo rapidamente. Cidades mais populares: New York, Miami e Los Angeles.
Na América Latina, Rio de Janeiro e Buenos Aires. Sendo que, no Brasil, alguns destinos menores vêm se destacando no turismo de luxo: Florianópolis, Fernando de Noronha e Trancoso na Bahia.
- Ásia Pacífico – Japão e Austrália são os países onde os turistas mais gastam, mas Índia e China lideram quando se trata de volume. Cidades mais populares: Singapura, Hong Kong e Tóquio.

Além desses destinos mais tradicionais, existe um número crescente de cidades ganhando popularidade entre os viajantes mais exigentes. Entre suas características comuns mais marcantes estão:
Mais privacidade / menos ostentação: um estilo de luxo mais tranquilo e discreto está se tornando preferência. Ilhas privadas, por exemplo, já fazem parte dos destinos mais desejados.
Aumento da demanda por paisagens intocadas: Brasil, Patagônia (Argentina e Chile), Austrália e Nova Zelândia aparecem na lista das inovadoras experiências de viagens em função da sua natureza intocada e paisagens de tirar o fôlego.
Interesse crescente por destino “off-the-beaten-track (fora do roteiro): algumas áreas atualmente inexploradas por razões sociais ou políticas, tendem a se tornar muito atrativas.
Destinos com apelo ambiental e cultural: Destinos com cultura e tradições fascinantes como Israel e Peru crescem em popularidade entre os turistas mais abastados. A consciência ambiental e social deverão permear esse tipo de viagem.

Preço, o lado racional do luxo
Profissionais do luxo concordam que preço alto é um elemento relevante na definição do luxo. Pela perspectiva do consumidor, preço é um indicador relevante pois segmenta demanda, ajuda a manter a exclusividade, conexão com alta qualidade (portanto valor é um fator chave), diferenciação social, entre outros.

Tendências que afetarão o Turismo de Luxo
A Horwarth HTL (Hotel Tourism Leisure), empresa que conduziu a pesquisa, descobriu 5 grandes tendências que afetarão o turismo de luxo diretamente:
Destinos emergentes ganharão importância:  A crescente demanda por autenticidade, novas experiências e exclusividade, explodirá o interesse em locais que refletem a cultura e tradição das comunidades locais.
•  A necessidade da personalização continuará: A criação de uma relação pessoal baseada na confiança entre fornecedores e viajantes vai reger o segmento. Os serviços estilo Concierge vão continuar crescendo. Esse tipo de relação mais próxima será ainda amplificada pelo uso avançado da tecnologia, principalmente o fenômeno das redes sociais.
Simplicidade e serviço perfeito: o commodity mais precioso, o serviço, deve funcionar sem erros. Desde o plano de retorno a sua casa, incluindo transporte, acomodações, serviços de transfer e passeios.
Recuperação da crise financeira: a demanda vai aumentar. Assim como outros setores da indústria, o turismo de luxo é sempre suscetível à variações em função da instabilidade política, desastres naturais e o medo do terrorismo, por exemplo.
O valor atribuído a certas marcas e destinos continuarão impactando as decisões de viagens: a internet e as mídias sociais continuarão influenciando no planejamento e reservas.

Desafios para consumidores e fornecedores
1.     Parcerias são vitais. Na distribuição, por exemplo, fornecedores de luxo devem trabalhar com parceiros que compartilhem o valor de suas marcas para vender seus produtos através de ótimos canais.
2.     Concorrência acirrada. Será cada vez mais difícil oferecer experiências únicas e manter um diferencial de Mercado. O principal desafio será manter a experiência de viagem renovada. Comunicação constante com os consumidores será ponto chave, especialmente via mídias sociais. Constante desenvolvimento de novos produtos se tornará vital para manter a visibilidade.
3.     Atrair novos talentos será cada vez mais difícil. Em uma indústria altamente competitiva, a falta de recursos é um problema mundial.

Em resumo, algumas palavras que permearam todo o estudo e que estão diretamente conectadas com turismo de luxo são:
·         Segurança
·         Conforto
·         Privacidade
·         Natureza

Conclusão
Os viajantes de luxo hoje em dia sabem exatamente o que querem. Não são mais serviços ostensivos,
mas calma, o luxo discreto e viagens com foco na autenticidade e experiências.
O turismo gastronômico, por exemplo, está no topo de interesses especiais, juntamente com arte e
cultura, roteiros fora do comum, paisagens espetaculares e reservas naturais. Destinos que ativamente
preservam o ambiente e protegem as espécies animais ameaçadas atraem a atenção deste grupo.
 
Planejamento é muito importante. Como todos os turistas, os viajantes de alto padrão estão usando a internet para reservas, assim como para informações prévias e são participantes ativos em redes sociais como o Facebook e Twitter. No entanto, eles valorizam a experiência dos agentes de viagens experientes e investem na construção de uma relação duradoura com o consultor. É especialmente com o setor de luxo que os agentes de viagem têm a oportunidade de construir uma clientela duradoura e valiosa.
Consumidores de luxo podem gastar excessivamente, mas gostam de saber que estão gastando com sabedoria e segurança. Alta qualidade justifica o preço.
Fornecedores também se destacam por um apetite crescente da busca do novo, experiências extraordinárias que vão garantir memórias ao longo da vida.
Nas áreas mais populares ainda permanecem os tradicionais  Europa Ocidental, EUA e Caribe. Mas, os antigos destinos remotos, como Etiópia e Patagônia, estão se tornando ímãs para aventureiros ricos.
As viagens ao exterior estão crescendo rapidamente nos países BRIC. Existe uma projeção de que 100 milhões de chineses viajem até 2020.
 
Por fim, existe uma convicção partilhada por todos os envolvidos nas viagens de alto padrão. A construção de um destino é um processo de longo prazo, requer investimento pesado e apoio para promoção e desenvolvimento.
À medida que avançamos em uma era pós-crise, o
valor da parceria é maior do que nunca.

=====================
Se você gostou desse artigo, leia também:
Postar um comentário