segunda-feira, 17 de março de 2008

Cirque du Soleil

Aula de Empreendedorismo e Inovação.
Marco D’Amico, vice-presidente sênior de Marketing do grupo diz: "E chegamos então a uma posição adotada desde o início por todos os gestores do Cirque: arriscar é preciso. É assim que o negócio tem dado certo: apostando em idéias, sem medo de investir milhões, jamais economizando nem criatividade, nem dinheiro. E reconhecemos que é natural que essa criatividade envolva riscos.
Basta uma visita à sede oficial do Cirque, em Montreal (Canadá), para ver como cada departamento, cada pessoa trabalha com os mesmos ideais. O Cirque é uma incubadora de criatividade. As idéias borbulham por todos os lados, idéias que chegam de todo e qualquer lugar, e de qualquer pessoa."

LIÇÕES Resumindo em uma pequena lista o grande modelo de gestão
Cirque du Soleil, podemos concluir que os conselhos são:
1) Equilibrar arte e comércio
2) Arriscar sempre
3) Economizar nunca
4) Inovar
5) Investir em criatividade e qualidade
Seguindo à risca todos esses pensamentos, o Cirque hoje chega à marca de um crescimento de receita de 20% ao ano. Em apenas um final de semana, 120 mil pessoas estarão assistindo ao espetáculo do Cirque em qualquer lugar do mundo. Alguns espetáculos já foram vistos por 80 milhões de pessoas, em mais de 200 cidades do mundo. 10 milhões de pessoas viram pelo menos um dos espetáculos em 2007. A companhia canadense chega a gastar US$ 165 milhões para produzir um show - é mais do que a produção de todos os espetáculos de teatro produzidos na Broadway, em Nova York, juntos em 2007.

ESTAREI LÁ ASSISTINDO "ALEGRIA" DIA 17 DE ABRIL 2008, SEM FALTA!!
!!
Postar um comentário