terça-feira, 2 de setembro de 2008

O Turista virou paciente!

Uma aluna do Senac, Mayte Scaravelli, deu uma idéia ótima para falarmos aqui no blog.
O "turismo de saúde" cresce incrivelmente no Brasil e os hospitais já estão aproveitando esta oportunidade de mercado. Em uma reportagem da Revista da Folha de 24/08/08 podemos comprovar o quanto é proveitoso para o estrangeiro vir ao Brasil realizar tratamentos médicos e/ou estéticos.

* Cirurgias cardíacas custam em torno de R$ 7.000 no Brasil e podem chegar a R$ 73.000 no exterior.
* Uma simples aplicação de botox pode passar de R$ 1.600 para R$ 700,00 por aqui.
Em termos de especialização, também temos tudo a nosso favor:
* Os médicos brasileiros têm fama de ter senso estético apurado e não exagerar na dose.
* Temos taxa de sucesso até 20% superior aos estrangeiros na fertilização in vitro.
* Hospitais paulistas são referência mundial pela qualidade das pesquisas e pela tecnologia de ponta.

Lembrando ainda que, este paciente vai ficar alguns dias na cidade e costuma gastar muito mais que um turista normal.

Um exemplo na reportagem foi uma diferença de USD 120,00/dia de um turista normal para USD 1.100,00/dia de um turista de saúde.
A OMT (organização Mundial de Turismo) projeta que este segmento deve movimentar cerca de USD 60 milhões entre 2012 e 2015.

O Brasil entra na briga com países como a Tailândia, que chega a faturar USD 500 milhões com o turismo médico.

Em 2006 tivemos 50 mil estrangeiros desembarcando no Brasil para tratamentos. O Hospital Albert Einstein atendia 200 pessoas por mês vindas do exterior em 2006 e, hoje, a média subiu para 300.

Algumas agências saíram na frente e estão investindo (...e ganhando dinheiro) com este filão de mercado como a Prime International. Mas para isso ela se recriou: trabalha 24hs para socorrer clientes em qualquer situação, com enfermeiras bilingues, chefs de cozinha (para dietas especiais) e até segurança particular.

Bem, o assunto não é novidade. Em 2005 o Estadão já falava sobre isso. Leia aqui.
Minhas perguntas agora são: Nossa hotelaria já entendeu a grande oportunidade que está a nossa frente? Hotéis e hospitais estão trabalhando em parceria? Os órgãos oficiais de turismo de SP já estão promovendo a cidade para esta nova demanda? Outras agências estão se preparando para atender este público?
Se quiser saber mais, entre no site Brazil Medical Tourism.
Postar um comentário